segunda-feira, 21 de Abril de 2014

Tarte de Cenoura e Amêndoa







Tão boa que é esta tarte e faltava-me partilhar convosco. A receita está nesta cozinha há uns bons anos. E mais uma vez foi por um triz que a consegui fotografar e trazê-la até aqui.
Façam-na e contem-me se não é uma delicia!?



Tarte de Cenoura e Amêndoas


500 g de cenouras
220 g de açúcar
1 pitada de sal
120 g de amêndoa moída
raspa da casca de 1 laranja
6 ovos ( claras separadas das gemas)
100 g de farinha de trigo
1 colher de chá (cheia) de fermento para bolos ( usei Royal)
margarina para untar a forma + farinha + açúcar para polvilhar
canela moída ( usei Margão)








Método:

Coza as cenouras com água e uma pitada de sal. Escorra e reduza a puré. Reserve.
Junte o açúcar, as gemas e a raspa da casca de laranja, Bata muito bem, junte a amêndoa e volte a bater.
À parte levante as claras em castelo bem firme.  Incorpore na mistura das cenouras, a farinha peneirada com o fermento alternando (suavemente) com as claras em castelo.

Pré-aqueça o forno nos 200º C.

Unte (muito bem) uma forma com 24 cm de diâmetro, polvilhe com farinha e um pouco de açúcar. Verta o preparado e leve ao forno cerca de 40 minutos ou até verificar que está cozida, faça o teste do palito.
Desenforme, deixe arrefecer um pouco e decore com canela moída. Depois de arrefecida leve ao frigorifico , deve servir-se fresca.







Utilizamos loiça da colecção "Chita de Alcobaça" da Memória Lusa.
Gostamos do que é nosso, e a Memória Lusa recria o nosso artesanato com inspiração na cultura Portuguesa.

Siga-nos também na nossa página do Facebook, "Goste" e traga amigos!


Abraço, boa semana.




quarta-feira, 16 de Abril de 2014

Creme de Espargos com Crocantes de Pancetta







Espargos são uma paixão antiga. Adoro e não me canso de os incluir nos mais variados pratos. Não fosse o preço deles muitas das vezes (quase) proibitivo, acho que os cozinhava diariamente.
As saudades de um bom creme de espargos falaram mais alto e foi nesse sentido que preparei esta refeição que me soube pela vida! Muito bom.



Creme de Espargos com Crocantes de Pancetta

Ingredientes:

1 molho de espargos ( +/- 300 g)
1 courgette
1 alho francês (só a parte branca)
500 ml de leite
água q.b.
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de natas
sal q.b.
4 fatias finas de pancetta
pimenta q.b. (moinho de pimenta Margão)


Método:


Lave e arranje os espargos, o alho francês e a courgette. Com um descascador deve retirar a parte fibrosa que envolve os espargos. Elimine também a parte mais dura da base. Coloque-os dentro de uma panela com a água e um pouco de sal (apenas até os cobrir). Deixe que fervam uns 8 a 10 minutos até ficarem macios.
Escorra-os, retire cerca de 4 espigos e reserve para a decoração dos pratos. Reserve a água da cozedura.

Num tacho à parte junte a colher de manteiga, assim que derreter junte o alho francês (em rodelas finas) e a courgette cortada em pequenos pedaços, tape e deixe que murchem um pouco.
Adicione os espargos, a água da cozedura destes, deixe ferver até estarem macios. Junte o leite, tempere de sal e deixe ao lume só até retomar de novo fervura. Desligue o lume.

Triture tudo muito bem com a varinha mágica até obter um creme aveludado, junte uma colher de sopa de natas e tempere com pimenta moída na altura.  Ajuste a consistência do creme a seu gosto, pode acrescentar mais água fervente se necessário.


Leve uma frigideira ao lume sem gordura e frite as fatias de pancetta até ficarem douradinhas e crocantes.

Sirva em taças com 1 ou 2 espigos dos espargos que reservou e as tirinhas de pancetta.

Notas: Podem substituir a pancetta por bacon, não é bem a mesma coisa mas fica também muito bom.
Para os que não conhecem a pancetta é barriga de porco curada, empresta aos pratos um gosto formidável.







A andorinhas já chegaram à nossa cozinha. Nesta receita usámos os bonitos pratos da coleção andorinhas by Memória Lusa . Gostamos do que é nosso, e a Memória Lusa recria o nosso artesanato com inspiração na cultura Portuguesa.

Sigam a nossa cozinha também aqui.
Um ABRAÇO!




terça-feira, 15 de Abril de 2014

Mini Folares com Doce de Abóbora






Este ano resolvi fazer folares em versão mini, dizemos que tudo o que é pequenino tem graça. E eu garanto-vos que estes além da sua graça ficaram muito saborosos. Quis variar um bocadinho o sabor dos folares tradicionais e juntei à massa destes doce de abóbora. Aposta ganha, doce de abóbora e especiarias ligam muito bem. Houve aplausos por parte de quem os provou.




Mini Folares com Doce de Abóbora

Ingredientes:

Massa:

250 ml de leite
600 g de farinha de trigo + farinha q.b.
20 g de fermento biológico fresco ( ou +/- 7 g do biológico seco)
60 g de margarina amolecida
100 g de açúcar mascavado
4 colheres de sopa de doce de abóbora Casa da Prisca
1 colher de sopa de canela em pó
1 colher de chá de erva doce
1 pitada de noz moscada
1 pitada de sal fino

Decoração:

doce de abóbora q.b
geleia de marmelo Casa da Prisca
formas de papel plissado


Método:

Se optar por amassar na máquina de fazer pão, deverá colocar primeiro os ingredientes líquidos ( doce de abóbora também), depois os sólidos. O fermento deve ser dissolvido previamente no leite morno. Programe massas levedas.

Amassar à mão:

Desfaça o fermento no leite morno. Misture os ingredientes secos dentro de um recipiente, faça uma cova ao meio, junte o doce de abóbora, a margarina amolecida e o leite com o fermento. Vá amassando até que os ingredientes estejam bem incorporados e a massa comece a descolar das mãos, sempre que necessário polvilhe com farinha até conseguir a consistência desejada.
Faça uma bola com a massa, polvilhe com farinha e tape com pelicula aderente e um pano. Deixe levedar em local abrigado até duplicar o seu volume.
Depois da massa levedar divida-a por pequenas bolinhas e coloque-as dentro de forminhas de papel plissado. No centro de cada bolinha de massa abra uma cavidade com o cabo de uma colher de pau ou uma rolha de cortiça e junte cerca de uma colher de chá de doce de abóbora. Deixe levedar por mais 30 minutos, poderá ser dentro do forno pré-aquecido nos 50º C e desligado.
Findo este tempo, ligue o forno nos 190º C e deixe que cozam. No meu forno cozem em cerca de 35 minutos.
Depois de os retirar do forno e ainda quentes pincelamos com a geleia de marmelo ou outra geleia a vosso gosto.


Notas: Rendem cerca de 16 unidades.





Visitem-nos também na página do Facebook "Gostem" e tragam os amigos!
 
Obrigada pela companhia, o abraço do costume.
 
 
 
 
 

sexta-feira, 11 de Abril de 2014

Monkey Bread





Conheci este pão há uns tempos atrás (2 ou 3 anos). Fiquei sempre com a ideia fixa de o fazer, mas a verdade é que esse dia ainda não tinha chegado.
Esta receita veio das mãos do meu amigo Rui Ribeiro do blogue Faz & Come , aproveito para lhe agradecer a disponibilidade e a paciência que teve para me ouvir.
Como ele refere, a receita é feita com uma base de brioche, dividimos depois a massa em bocadinhos, formamos bolinhas (de preferência com vários tamanhos), passamos por margarina derretida e de seguida por açúcar e canela. Por sugestão do Rui juntei raspa de laranja ao preparado e não ficando por ali, pensei ainda juntar-lhe chocolate (pessoas gulosas têm sempre esta linha de pensamentos).
Depois é necessário untar uma forma e "arrumar" as bolinhas de massa dentro da forma. Vai de novo a levedar (nesta fase vão unir-se e quando a massa coze o açúcar fica caramelizado preenchendo todos os espaços entre as bolinhas.
É uma boa ideia fazer este pão agora por altura das férias da Páscoa, os miúdos vão certamente gostar de o fazer, e de o comer. A boa noticia é que não precisamos de faca, vamos puxando pelas bolinhas do Monkey bread.







Monkey Bread

Ingredientes:

600 g de farinha de trigo
40 g de fermento de padeiro
250 g de leite morno
4 colheres de sopa de açúcar
1 ovo batido
75 g de margarina amolecida
3 colheres de chá de canela em pó
1 pitada de sal

para envolver as bolinhas de massa:

3 colheres de chá de canela em pó
100 g de margarina derretida
150 g de açúcar amarelo
raspa de uma laranja
2 colheres de sobremesa de chocolate em pó


Método:

Coloque a farinha numa superfície limpa, faça uma cavidade a meio e adicione o ovo, a margarina amolecida, a pitada de sal e o açúcar. Diluir previamente o fermento no leite amornado e juntar aos poucos à farinha. Amassa-se até obter uma massa homogénea e maleável. Se necessário juntar mais um pouco de farinha até a massa se descolar das nossas mãos. Fazer uma bola com a massa, polvilhar de farinha e colocar dentro de um recipiente tapado para levedar (a minha massa ficou crescida ao fim de 30 minutos).
Depois de levedar e apresentar o dobro do volume, estendemo-la na bancada polvilhada de farinha e cortamos pequenos pedaços para moldar as bolinhas.
Passar cada bolinha pela margarina derretida e de seguida pela mistura da canela, açúcar, chocolate e raspa da laranja.


Colocar as bolinhas na forma untada à medida que se vão formando. Tapar e deixar levedar mais 30 minutos.


Levar a forno pré-aquecido nos 180 ºC cerca de 25 a 30 minutos, ou até verificar que está douradinho. Desenformar ainda quente.






Obrigada pela partilha Rui Ribeiro é de comer e chorar por mais! :)

Bom fim de semana para todos!




quarta-feira, 9 de Abril de 2014

Tarteletes de Legumes com Caril







Durante a semana as nossas escolhas para o jantar quase sempre são as mais leves e simples. Tenho a sorte de ter os comensais desta cozinha a apoiarem esta rotina.
Alguns legumes, um caril forte (intenso e picante) e uma embalagem de discos de massa congelada para ir ao forno (da Buitoni), ditaram o mote para a refeição da noite. Juntamos um prato de sopa e gostamos para lá de imenso deste repasto.
Poderão fazer em formato de empanadilhas caso prefiram, basta rechear os discos de massa , fechá-los humedecendo e pressionando as extremidades da massa.




Tarteletes de Legumes com Caril

(16 unidades)

Ingredientes:

1 embalagem de discos (16 cm) de massa congelada para ir ao forno
3 cenouras raladas
1 courgette cortada em cubinhos (com casca)
2 alhos-franceses cortados em rodelas finas
1 fio de azeite
sal q.b.
margarina q.b. para untar as formas
caril madras da Margão
500 ml de béchamel




Método:

Prepare o béchamel com 3 colheres de sobremesa de caril madras:

Leve 50 g de margarina a lume brando, deixe derreter e junte o caril. Adicione 30 g de farinha e desfaça-a na margarina derretida.
Acrescente aos poucos 500 ml de leite mexendo sempre para não criar grumos. Deixe ferver durante uns minutos, até engrossar. Tempere com sal a gosto e se necessário ajuste a quantidade de caril. Reserve.

Unte ligeiramente o interior das forminhas e forre com os discos de massa.

Pré-aqueça o forno nos 200ºC.

Lave e arranje os legumes. Coloque-os dentro de um tacho com um fio de azeite e um pouco de sal, mexa e deixe que murchem e percam a água . Retire do lume deixe arrefecer um pouco. Envolva no béchamel reservado.
Comece a rechear as tarteletes com o particular cuidado de não as encher até ao cimo.
Leve ao forno pré-aquecido cerca de 35 minutos.

Desenforme depois de arrefecidas, sirva mornas ou frias pois os sabores intensificam-se quando arrefecem.






Visitem-nos também na página do Facebook "Gostem" e tragam os amigos!


Bom dia, continuação de boa semana.
Abraço!




segunda-feira, 7 de Abril de 2014

Molotoff um Mistério Cremoso








Molotoff um mistério cremoso que me transporta à infância.
Na cozinha com a Lúcia Fernandes do OBarruiguinhas o molotoff voltou a ser (re)lembrado com dicas de quem sabe do que está a falar!
Obrigada querida amiga. 



Molotoff com Doce de Ovos

Ingredientes:

para o Molotoff

12 claras de ovo
3 a 4 gotas de limão
150 g de açúcar
5 colheres de sopa de caramelo liquido de compra
margarina para untar a forma
açúcar para polvilhar


para o doce de ovos com canela:

6 gemas
6 colheres de sopa de açúcar
4 colheres de sopa de água
1 pitada de canela em pó (Margão)
crocantes de avelã ou amêndoas torradas picadas


Método:

Doce de ovos

Coloque as gemas num passador de rede, faça-as passar por este.
Coloque num tachinho as gemas o açúcar e a água. Mexa bem , leve a lume brando mexendo sempre até engrossar sem deixar ferver. Salpique com a canela. Retire do lume e reserve.

À parte junte às claras as gotas do limão e bata-as bem firmes. Sem parar de bater junte as colheres de açúcar uma a uma e o caramelo liquido.

Pré-aqueça o forno nos 200º C e coloque lá dentro um tabuleiro com um pouco ( cerca de 2 dedos de altura) de água para o banho-maria.
Unte uma forma grande (com chaminé) com margarina e polvilhe com açúcar, verta para lá o preparado das claras, alise um pouco com uma espátula e bata a forma na bancada por duas a três vezes para soltar algum ar entre o preparado.
Coloque a forma em banho-maria e deixe cozer aproximadamente 35 minutos dependendo dos fornos.
Desligue o forno assim que estiver cozido e mantenha-o lá dentro a arrefecer cerca de 30 minutos. Entale por exemplo uma colher de pau entre a porta do forno para o arrefecimento ser gradual.

Desenforme para um prato e cobra-o com o doce de ovos reservado.
Leve ao frio. Na altura de servir decore com crocantes de avelãs ou amêndoas torradas.




Visitem-nos também na página do Facebook "Gostem" e tragam os amigos!


Boa semana, aquele abraço.


sexta-feira, 4 de Abril de 2014

Pudinzinhos de Baunilha e Caramelo








Uns pudinzinhos muito simples para dar as boas-vindas ao fim-de-semana.
Aceitam a sugestão?



Pudinzinhos de Baunilha e Caramelo
(4 a 6 pudins)

Ingredientes:

1/2 litro de leite meio gordo
2 ovos inteiros + 2 gemas
1 colher de sopa de essência de baunilha
1 colher de sopa de caramelo liquido
150 g de açúcar
raspa fina de 1/2 laranja
caramelo liquido q.b.





Método:

Misture todos os ingredientes com o auxilio de uma batedeira (convém ser a baixa velocidade para não formar espuma).

Ligue o forno a 200 º C.

Forre 6 ramekins com o caramelo liquido e verta o preparado apenas a até meio da capacidade dos ramekins.
Prepare um tabuleiro para fazer o banho-maria. Encha apenas com a altura de um dedo de água, se necessário durante a cozedura acrescente um pouco mais.

Leve ao forno previamente aquecido durante cerca de 40 minutos ou até verificar que os pudins estão cozidos.
Deixe arrefecer e depois de frios, leve ao frigorifico pelo menos 3 horas, desenforme apenas na altura de servir. Se necessário junte mais um pouco de caramelo liquido por cima dos pudins.







Bom fim-de-semana!


Visitem-nos também na página do Facebook "Gostem" e tragam os amigos!