Tarte de Coco Deliciosa [sem Açúcar e sem Glúten]




Olá estou de volta. Por esta altura decidi trazer-vos uma proposta doce, porém um pouco diferente das que tenho trazido até aqui na Páscoa de anos anteriores.
Quem me acompanha no blog, sabe que tenho no arquivo deste, diferentes propostas doces que se encaixam na época festiva que se aproxima. Mas, não perdendo o fio da conversa, em cima da mesa fica a sugestão de uma tarte de coco feita sem açúcares refinados e sem glúten. Foi desenvolvida por mim a pensar em todos aqueles que por intolerância ao açúcar ou ao glúten costumam naturalmente ficar excluídos da grande maioria dos bolos e sobremesas que se servem nestas quadras festivas. As intolerâncias alimentares são um problema mais recorrente do que se imagina.


Esta tarte é do mais simples e se gostam de receitas com coco não percam oportunidade de a fazer, é francamente deliciosa, sendo também uma opção leve e saudável para todos os outros.
Aqui o açúcar foi substituído por adoçante natural, pessoalmente gosto de usar o xilitol, mas a stevia também é uma excelente alternativa para adoçar.
A farinha de coco não tem glúten e juntamente com o coco ralado veio dar uma boa estrutura a esta tarte. Sendo que a maciez e a humidade ficaram a cargo das natas. Em duas palavras: simples e deliciosa, depois logo me dizem.
Obrigada por continuarem desse lado, votos de uma Páscoa Feliz! ❤




Tarte de Coco Deliciosa [Sem Açúcar e sem Glúten]


Ingredientes:

5 ovos
120 g de coco ralado
6 colheres de sopa de farinha de coco
1 colher de café rasa de fermento para bolos
120 g de adoçante natural da vossa preferência (usei Xilitol)
raspa fina de 1/2 limão
1 pacote de natas cremosas light (usei da Mimosa)
manteiga q.b. para untar a forma





Método:

Ligue o forno nos 190º C.

Unte uma tarteira de fundo amovível com um pouco de manteiga. Reserve.

Bata os ovos com o xilitol, adicione a raspa fina do limão.

Junte as 6 colheres de sopa de farinha de coco e o fermento, continue a bater. Envolva depois o coco ralado e por ultimo as natas que devem estar à temperatura ambiente. Vai obter uma mistura volumosa. Verta agora para dentro da tarteira previamente untada e reservada.

Leve ao forno por 15 minutos até dourar. Faça o teste do palito. Atenção que ela fica húmida por dentro, não se deixe enganar.

Retire do forno, deixe arrefecer e se gostar polvilhe a superfície com coco ralado.







Cubinhos de Bacalhau Fresco em Leite de Coco




Hoje partilho convosco este prato que faço com alguma frequência. Em casa ninguém torce o nariz às supremas de bacalhau fresco, são todos a gostar! E apenas vinte minutos bastam para preparar a refeição, que tem tanto de descomplicada, quanto de nutritiva e saborosa.
As Supremas de Bacalhau da Pescanova já vêm no ponto de sal ideal para cozinhar, assim, só temos de nos ocupar com os outros sabores que pretendemos dar ao prato. Por falar em sabores, não se esqueçam de adicionar o funcho aos restantes temperos, que menciono na lista de ingredientes, porque o funcho dá uma nova vida tanto a pratos de peixe como de marisco.
Experimentem e digam se não tenho razão no que digo. 😉


Cubinhos de Bacalhau Fresco em Leite de Coco


Ingredientes:

2 embalagens de Supremas de Bacalhau Fresco Pescanova
1 pimento vermelho cortado em cubos pequenos
1 cebola média picada
4 dentes de alho picados finamente
azeite de boa qualidade q.b.
150 ml de leite de coco
1 colher de chá de funcho
1 pitada de paprika
pimenta preta moida na altura q.b.
coentros frescos q.b.
Supremas de Bacalhau Fresco Pescanova


Método:

Deixe descongelar o bacalhau dentro do frigorífico de um dia para o outro.
Escorra bem o peixe. Com uma faca bem afiada corte o peixe em cubos do mesmo tamanho.
Entretanto coloque um tacho largo ao lume com um fio de azeite, a cebola picada, os alhos e o pimento cortado. Deixe refogar um bocadinho e distribua os cubinhos do bacalhau pelo tacho. Tempere com pimenta, funcho e paprika. assim que começar a ouvir "estalar" junte o leite de coco e envolva cuidadosamente com uma colher de pau.
Deixe levantar fervura em lume brando e conte mais 10 minutos para desligar o lume.
Sirva polvilhado com coentros frescos picados e se gostar acompanhado por legumes cozidos ou arroz branco. Ou um outro acompanhamento a gosto.



Continuação de bons cozinhados e até breve!





Noodles de Courgette com Beringela, Alho-Francês e Atum ao Natural





Este é um prato simples e versátil, bastante recorrente na minha cozinha.
Nem sempre tenho refeições planeadas e algumas vezes, a imaginação é a minha melhor aliada.
Juntar os legumes disponíveis no frigorífico e cozinhá-los ainda que de forma simples, com um fio de azeite e alho, sairá por certo uma boa refeição.
Neste caso espiralizei a courgette que se torna deliciosa saboreada em fios e cortei em pedacinhos os restantes legumes. No final juntei atum e mais uns quantos ingredientes a gosto. Maravilha, soube muito bem!


Noodles de Courgette com Beringela, Alho-Francês e Atum ao Natural


Ingredientes:
(2 pessoas)

1 beringela cortada em cubos
2 alhos-franceses cortados em rodelas finas
1 courgette espiralizada
1 cebola roxa cortada em lâminas finas
3 alhos picados finamente
1 fio de azeite de boa qualidade (uso Oliveira da Serra)
moinho de pimentas q.b.
sal (usei flor de sal e só temperei no final para evitar retirar mais água aos legumes)

Notas: Se gostarem podem temperar os legumes já na frigideira com um pouco de molho de soja, assim, esqueçam o sal porque o molho já é salgado.

atum quantidade a gosto
tomate-cereja quantidade a gosto
azeitonas q.b.
oregãos q.b.


Método:

Lavamos e arranjamos todos os legumes. Espiralizamos também a courgette.
Colocamos uma frigideira funda antiaderente ao lume com um fio de azeite e adicionamos os alhos picados, alho-francês e a cebola. Mexemos, e esperamos que percam volume, com cuidado para não deixem queimar os alhos.
Juntamos a beringela, envolvemos para tomar gosto e deixamos a cozinhar uns minutos mexendo de vez em quando. Por último juntamos a courgette já em fios e o atum devidamente escorrido. Temperamos com um pouco de pimenta envolvemos e esperamos 2 a 3 minutos até cozinhar.
Retiramos do lume. Juntei então folhas de rúcula, tomate-cereja e azeitonas. finalizei com folhas de oregãos e flor de sal.
Saudável e saboroso.



Salada Morna de Quinoa Tricolor




A quinoa (cujo nome significa “grão materno”) é considerada um dos alimentos mais completos em nutrientes. Conhecida pelo seu alto teor em proteína e muito rica em fibra consegue garantir por algum tempo sensação de saciedade. 

Por curiosidade, a quinoa era conhecida pelos Incas como "a mãe de todos os grãos" e foi cultivada pela primeira vez há mais de 5000 anos.

Alimento muito saudável, versátil e muito prático. Estes pequenos (super) grãos ou sementes como lhe queiram chamar, ganharam há muito a minha simpatia.
Hoje partilho convosco esta salada muito simples e não fiquem a pensar que fiquei com fome!
Para quem não sabe a quinoa pode ser misturada em diversos pratos, sopas, tartes, massa de pães , iogurtes e outros. É portanto uma boa opção para ser incluída no nosso dia a dia.

Utilizei a tricolor, uma mistura de 3 grãos (branca, vermelha e preta) gosto bastante. Ah... e se puderem optem pela biológica a diferença de preços não é significativa.
Convém ser bem lavada antes de cozinhar, o ideal é usarem um passador de rede fina e lavar com água corrente para retirar um pequeno revestimento que dá um gosto amargo à quinoa.
Outra dica importante é não cozinharem demasiado, pois é muito agradável trincarmos os grãos crocantes a cada garfada ou colherada.😋




Salada Morna de Quinoa Tricolor

Ingredientes:

1 chávena de chá de quinoa tricolor (ou outra a gosto)
2 chávenas de chá de água ou caldo de legumes
1 colher de sopa de azeite de boa qualidade
vinagre de framboesa q.b.
1 beterraba cozida cortada em cubinhos
folhas de rúcula quantidade a gosto
tomate-cereja biológico quantidade a gosto

Para o vinagrete : Azeite q.b. vinagre de framboesa q.b. e umas gotas de geleia de agave. Agitar dentro de um frasco tapado e fica pronto para temperar a salada.


Método:

Lave muito bem a quinoa com água corrente e dentro de um passador de rede fina. Passe os dedos pelas sementes para ajudar o processo. Escorra bem.

Coloque a quinoa dentro de uma caçarola em lume brando com o dobro da água, 1 colher de azeite e um pisco de sal. Deixe cozinhar cerca de 15 minutos mexendo de vez em quando. Retire do lume e volte a escorrer com um passador de rede fina, caso a água não tenha evaporado por completo.
Volte a colocá-la na caçarola com o lume desligado e tape, espere mais 10 minutos.

Findo este tempo está pronta a utilizar, retire só a quantidade que desejar, o que sobrar coloque numa caixa hermética no frigorífico para futuras utilizações.

Coloque a quantidade necessária para a salada numa taça, junte a beterraba cortada, o tomate-cereja, a rúcula e tempere com o vinagrete. Envolva bem os ingredientes e bom apetite!


Bolo Simples de Frutos Vermelhos





Um final doce de um almoço em família.
Este bolinho foi feito num dos últimos dias de 2017. É pouco doce, de miolo fofinho e tão delicioso.
Encontrei a receita na rubrica "receita do leitor" de uma revista Continente Magazine, fiz algumas alterações a gosto.
Se pretenderem um bolo mais alto utilizem uma forma com o diâmetro 22 ou 24 cm, a que usei é de 26 cm e por isso ficou mais baixo.
Quem sabe não o experimentam já no próximo fim-de-semana 😉 ah...sendo esta a primeira receita de 2018, aproveito o momento para vos desejar um muito feliz 2018.





Bolo Simples de Frutos Vermelhos


Ingredientes:

*capacidade da chávena que utilizei 220 ml

3 chávenas de farinha sem fermento
1 colher de sobremesa de fermento para bolos
1/2 chávena de margarina à temperatura ambiente
3 ovos
1 chávena de açúcar amarelo
1 chávena de leite à temperatura ambiente
2 chávenas de frutos vermelhos
2 colheres de sopa de açúcar amarelo 
1 colher de sopa de essência de baunilha
raspa e sumo de 1 limão
margarina e farinha  q.b. para untar e polvilha a forma
açúcar em pó opcional q.b.


Método:

Pré-aquecemos o forno nos 190º C .

Untamos uma forma com margarina e polvilhamos com um pouco de farinha

Batemos a margarina com o açúcar e em seguida juntamos os ovos e voltamos a bater.
Juntamos o leite, a essência de baunilha e a farinha (previamente peneirada com o fermento) aos poucos e alternadamente sempre a bater. Adicionamos a raspa do limão e por fim envolvemos uma das chávenas de frutos vermelhos, reservando a outra.
Vertemos a massa para a forma e levamos ao forno cerca de 35 minutos, convém fazer o teste do palito para verificarmos se a massa está cozida no centro.

Retiramos e deixamos arrefecer por completo.

Entretanto juntamos a outra chávena de frutos vermelhos numa caçarola e levamos ao lume com duas colheres de sopa de açúcar amarelo e umas gotas de sumo de limão. Deixamos fervilhar um pouco até engrossar, retiramos do lume e esperamos que arrefeça.

Para finalizar e se gostarem, podem salpicar a superfície do bolo com um pouco de açúcar em pó.